02 abril 2007

A SATA e a Diáspora


A companhia Aérea da Região Autónoma dos Açores, SATA, neste caso Internacional, parece querer fazer com os nossos emigrantes, o mesmo que a TAP fazia quando tinha o monopólio (sozinha, pois agora é um monopólio partilhado ou em parceria) das rotas aéreas com os Açores. Refiro-me a compensar os baixos lucros de outras rotas, com preços altíssimos praticados nas viagens para os Açores que originava que quem para lá viajasse, não tendo alternativa, se via obrigado a abrir os cordões à bolsa, e pagar o que a TAP queria.

Nós, Açoreanos, comparticipamos duas companhias de Aviação. É obra……de gente rica.

Pois a memória é curta, e nos negócios, não há dessas “coisas do coração”, da saudade, das injustiças dos altos preços, ou da diáspora. Isso são mariquices. Negócios são negócios.

E a SATA aprendeu bem a lição, com o seu actual parceiro (TAP). Então não é, que agora, os emigrantes dos EUA que queiram viajar para os Açores, em alguma festividade ou de visita à terra natal e aos seus familiares, têm de pagar (sim dinheiro à frente) a passagem com 6 meses de antecedência. E é para quem quiser!. Até porque a SATA é a única companhia que faz voos directos para as Ilhas Açoreanas, por isso, é pegar ou largar!.
(não estou seguro, mas o preço anda à volta dos 700 euros)

Isto sim, são negócios. E quando se pensa que aqui não entra a saudade vivida na diáspora, eu respondo; entra sim, pois só com tamanha saudade se compreende que alguém se sujeite a pagar uma viagem que vai efectuar dentro de seis meses. E quem gere a SATA, sabe-o.

Para quem administra a nossa (sem aspas, obviamente) companhia de aviação regional, eu digo: Não façam aos outros, aquilo que esteve na origem da criação da nossa SATA.

6 comentários:

Rui Gamboa disse...

Ou a SATA tem um grande trunfo para apresentar aos açoreanos (de cá e de lá) para fazer uma destas, ou então...

Quando se pensa que estamos mais perto de liberalizar a rota entre Açores e continente, surge algo assim. A SATA não vai ficar, de vez, com a rota (que não era rentável) do Porto Santo? Então está explicado, é preciso compensar noutro sítio.

Se vires bem, PP, está certo, está mesmo.

claudio almeida disse...

Epá, o que temos a fazer?!
Nada.
Mas o que mais indigna, é a atitude dos nossos governantes, que parece que lhes é indiferente.

PP disse...

A desilusão face ao projecto que levou ao "nascimento" da SATA, é total.
Pelo menos por parte dos Açoreanos, quer os que cá vivem, quer os que cá querem voltar.

A descida inicial dos preços, que tanto nos alegrou, foi sol de pouca dura (como o de cá).
Logo se iniciou um lenta (nem tanto) subida dos preços, e uma inexplicável descida do nivel de serviços apresentados (comida a bordo, por ex.).

O que sinto é que andamos nós, outra vez, a pagar para que outros viagem a preços mais baixos. Um turista do continente que visite os Açores num fin de semana, para 200 euros, com avião, hotel e carro de aluger, enquanto nós pagamos quase 250 euros só para sair daqui(e voltar, óbviamente).

A SATA em lugar de servir os interesses dos Açoreanos, anda a servir os interesses do Turismo, à custa do nosso dinherio (duas vezes, pois através dos nossos impostos já financiamos a SATA).

Estou farto.

PP disse...

REfiro-me, óbviamente á SATA Internacional.

A SATA Regional é outra história....e com grandes profissionais.

Anónimo disse...

...embora a SATA air Açores também pratique uns preços exorbitantes.


PP

Anónimo disse...

Pq que nos A�oreanos s� sabemos reclamar? Oq queremos? Voos de gra�a? ACordem!!!
N�o precisamos ser assim t�o rebarbados!!!
A SATA, tanto a nossa como a do continente tem os mesmos problemas, a nossa em especial tem umas hospedeiras bruxas!!!